Madura, Eliana é a mais bem-sucedida das ex-apresentadoras infantis

31 agosto

Em 2000, quando se tornou líder de audiência nas manhãs da Record com seu Eliana & Alegria, a apresentadora Eliana falou à revista Contigo!. Ela disse que sonhava, um dia, ser apontada como um “ícone da TV brasileira”. De lá para cá, quase 20 anos se passaram e Eliana, hoje, comanda um dominical no SBT que leva seu nome. Aquela apresentadora infantil, então, chegou lá.

Eliana reuniu a imprensa nesta semana para comemorar seus quase 30 anos de carreira na TV. Analisando sua trajetória, percebe-se que Eliana conseguiu se firmar na telinha ao fazer boas escolhas em momentos decisivos. Ela vinha fazendo um programa infantil de sucesso no SBT, o Eliana & Cia, quando atendeu ao chamado da Record. O que teria acontecido se ela não tivesse optado por mudar? Provavelmente, teria destino semelhante ao de Jackeline Petkovic, sua sucessora no SBT, que foi dispensada quando o canal aplicou uma política de contenção de despesas.

A Record deu a Eliana a chance de explorar outras facetas. No SBT, a loira comandava quadros educativos e chamava desenhos. Na Record, ela comandava um programa ao vivo, onde aparecia bem mais que as animações. E foi a mesma emissora que acreditou que ela poderia mudar de público, num momento em que os infantis deixaram de ser um bom negócio. O dominical Tudo É Possível foi um acerto, e a credenciou a retornar à sua antiga emissora por cima. Voltou ao SBT também no momento certo, quando havia um espaço a ser conquistado aos domingos. Deu certo.

Enquanto Eliana tem seu espaço, Xuxa e Angélica buscam reinvenção.

No auge de sua popularidade junto ao público infantil, Eliana tinha como principais “concorrentes” Xuxa Meneghel e Angélica. Durante os anos 1990, Xuxa consolidou seu espaço nas manhãs de sábado da Globo, enquanto Angélica explodiu. Trocou a Manchete pelo SBT a peso de ouro, e migrou para a Globo com status de estrela. Entretanto, quando os infantis começaram a sumir, as três tomaram rumos distintos em busca de novos ares.

Curiosamente, foi Xuxa quem fez a transição de público primeiro. Ela buscou falar aos adolescentes no Planeta Xuxa, que deu muito certo. Seu passo em falso foi retornar aos infantis com Xuxa no Mundo da Imaginação. Xuxa nadou contra a maré e pagou o preço por isso. Já Angélica fez uma transição gradual e feliz, com suas participações no Vídeo Show e no Fama. Ganhou o Estrelas, que apresentou por anos. Mas ficou numa “zona de conforto”, incomodando os fãs, que esperavam mais dela.

Agora, Xuxa e Angélica buscam se recolocar. Xuxa tomou um caminho interessante, já que finalmente abriu mão de fazer um programa sobre si mesma. No Dancing Brasil, da Record, ela vem mostrando que pode fazer outras coisas. Já Angélica trabalha num novo projeto de programa para a Globo, que deve estrear no ano que vem. É a chance de ela mostrar que ainda tem muito a oferecer.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Por Observatório da Televisão.

VOCÊ TAMBÉM DEVE GOSTAR

0 comentários

E aí, curtiu?
Conte-nos o que achou dessa postagem. Seus comentários, opiniões e sugestões são importantes.

#TWITTER.COM/365DIASCOMELIANA

#FACEBOOK.COM/365DIASCOMELIANA

#FLICKR.COM/365DIASCOMELIANA