Diretor de "Eliana" analisa 2017 e crava: "ficará marcado na história"

12 dezembro

Ariel Jacobowitz inicia série de entrevistas com diretores de programas que se destacaram em 2017.

Há cinco anos como diretor do programa "Eliana", no SBT, Ariel Jacobowitz fez um balanço da atração em 2017, à pedido do NaTelinha. 

Para o profissional, o ano foi algo totalmente diferente. "Eliana tendo uma gravidez de risco, Patrícia assumindo,também grávida, e no meio de tudo isso o programa precisando seguir em frente, firme e forte. Sem dúvida esse ano ficará marcado na história de todos os envolvidos", explica. 

Tendo dirigido "Charme", "Hebe" e "Especial SBT 30 anos", dentre outros programas, Ariel comenta que atualmente as atrações dominicais passam por um ciclo de demanda por conteúdo com emoção. "Em paralelo temos que analisar o que está acontecendo no como um todo. Saímos da era 'ostentação' para a era da 'sofrência'.O povo brasileiro está magoado, em busca de uma luz no fim do túnel, de emprego e quando levamos ao ar histórias que trazem esperança e superação, isso toca as pessoas. Mas isso pode mudar a qualquer momento. O domingo já foi de jogos e brincadeiras", diz ele, revelando que atualmente possui registrado mais de vinte quadros ligados ao programa e na maioria criações da sua produção. 

Segundo o diretor, foi muito difícil ver Eliana se afastar da atração durante a gravidez para salvar a vida da sua filha, Manuela. "A notícia da gravidez foi uma tremenda alegria e tudo mudou em questão de pouco tempo. Nesse período, além de estar por perto, física ou emocionalmente, procurei manter sua alma e sua energia no programa. Eu, Patrícia Abravanel e toda a produção fizemos tudo com muito carinho durante essa jornada para que ela se sentisse acolhida na sua ausência e no seu retorno", comenta. 

Para 2018, Ariel conta que o programa terá novo cenário. "É algo que queríamos mexer faz tempo e que só agora tivemos o OK da emissora. Temos ainda dois formatos comprados em Cannes e que estamos aguardando o sinal verde da direção para implantar", revela. 

Confira a entrevista completa:


Fazendo um balanço de 2017, quais foram maiores desafios para produzir o "Eliana"? 
Ariel Jacobowitz - 2017 foi um ano totalmente diferente para nós. Eliana tendo uma gravidez de risco, Patrícia assumindo, também grávida, e no meio de tudo isso o programa precisando que em frente firme e forte. Sem dúvida esse ano ficará marcado na história de todos os envolvidos. 

Na guerra pela audiência, que tipo de conteúdo não entra no programa? Como é dirigir um programa dominical? 
Ariel Jacobowitz - Dirigir um programa de quatro horas aos domingos sem dúvida é o maior desafio da minha carreira. O trabalho é intenso, a equipe é grande, o gerenciamento de conteúdo, orçamento, estratégia, cenografia, qualidade, edição, chamadas, digital e operações é enorme. Mas ao mesmo tempo poder levar informação e entretenimento e, de alguma forma, mexer com as emoções de milhares de brasileiros todos os domingos é algo fascinante! A responsabilidade é gigante mas o prazer vem em dobro. E por essa razão que temos muito cuidado para não levar ao ar nada que impeça a família de estar unida no sofá vendo nosso programa. Qualquer conteúdo que não seja pra família não entra no ar. 

Existe muita crítica em relação aos programas dominicais apostarem muito em histórias emotivas. Qual sua opinião sobre isso? 
Ariel Jacobowitz - Eu acredito que tudo seja um ciclo. Em paralelo temos que analisar o que está acontecendo no Brasil como um todo. Saímos da era "ostentação" para a era da "sofrência". O povo brasileiro está magoado, em busca de uma luz no fim do túnel, de emprego e quando levamos ao ar histórias que trazem esperança e superação, isso toca as pessoas. Mas isso pode mudar a qualquer momento. O domingo já foi de jogos e brincadeiras. Tivemos o momento onde os programas de auditório dominicais se tornaram jornalísticos e o importante era ter helicóptero e entrar ao vivo com factuais. Já tivemos domingos musicais onde os artistas entravam e cantavam 8, 0 músicas e por aí vai. O importante é estarmos sempre atentos a tudo o que está havendo no nosso "Brasilzão" e fazer as mudanças necessárias em nosso conteúdo para estarmos sempre em conexão com as pessoas em casa. 

"A Eliana é a alma do programa. Não produzimos nada que não tenha sua personalidade". Ariel Jacobowitz, diretor.

Além de diretor, você tem uma relação de amizade com a Eliana. Como foi pra você vê-la se afastar do programa para salvar a vida da filha? 
Ariel Jacobowitz - Foi muito difícil. A notícia da gravidez foi uma tremenda alegria e tudo mudou em questão de pouco tempo. Nesse período, além de estar por perto, física ou emocionalmente, procurei manter sua alma e sua energia no programa. Eu, Patrícia Abravanel e toda a produção fizemos tudo com muito carinho durante essa jornada para que ela se sentisse acolhida na sua ausência e no seu retorno. Graças a Deus o final da história foi o mais feliz possível! Manuela está aí, linda e cheia de saúde! 

Como foi a experiência de dirigir Patrícia Abravanel? 
Ariel Jacobowitz - O curioso é que o primeiro programa solo da Patrícia foi dirigido por mim, o "Festival SBT 30 Anos", em 2011.Ela começou com todas as dificuldades de se tornar uma apresentadora, falar com a câmera,ler roteiro no TP e entender todo o processo de funcionamento de uma produção e anos depois nos encontramos de novo no programa "Eliana", que é um gigante de quatro horas de duração, exibido aos domingos e cheio de quadros complexos que vão da emoção ao humor,reportagens gravadas em externas, entrevistas e tudo o mais. E isso aconteceu quando ela também estava grávida, tanto que pudemos ver sua barriga crescendo no ar ao longo dos cinco, seis meses em que ela ficou à frente do programa. E ela foi uma guerreira! Se dedicou, foi parceira, encarou os desafios de peito aberto e se entregou de corpo e alma nesse projeto e nesse desafio de provar que também dá conta do recado. E deu! Patrícia está pronta pro que der e vier e seu carisma é enorme! Ela conquistou a todos nós e merece voltar com um baita programa após sua neném nascer!

Embora o programa seja gravado, ele é formatado no ar dependendo da resposta do real time do Ibope? Como é isso? 
Ariel Jacobowitz - Isso não acontece mais. Fizemos este trabalho de alterar o horário dos intervalos comerciais "ao vivo", mesmo com o programa gravado, durante anos, e chegamos a conclusão de que no fim das contas não valia tanto a pena na balança final entre resultado de audiência e qualidade artística do programa. Monto a estratégia de "breaks" de acordo com vários fatores e ele é editado e finalizado com a maior qualidade possível para o telespectador.

O programa aposta em diversos quadros e reportagens. De tudo que foi apresentado durante o ano, qual você destacaria? Por quê? 
Ariel Jacobowitz - Temos hoje registrado mais de vinte quadros ligados ao programa Eliana, em sua maioria criações nossas, o que me enche de orgulho. Sou apegado a todos eles, então é difícil escolher um como destaque. Temos quadro com animais, com ciência, sobre internet, amor e relacionamento, beleza, culinária, games, humor e por aí vai. Além dos quadros formatados, criamos roteiros independentes para as histórias que queremos contar,como os "casamentos surpresa" que já realizamos. Assim também surpreendemos quem está em casa sempre com um programa novo. Mas é inevitável não apontar este ano o "Com o Passar dos Anos", formato internacional comprado em uma feira de conteúdo em Cannes. Ele aparentemente parece ser um quadro fácil de se produzir mas não é não. Seu processo de produção é muito complexo e sua realização é extremamente delicada, já que lidamos com assuntos muito sensíveis que o envelhecimento traz à tona, como vaidade, sonhos, família, profissão e morte. Falar disso tudo é um tabu a ser quebrado e portanto um enorme desafio para nós. É uma jornada intensa e muito interessante. E todos os artistas que já passaram pelo quadro sabem dizer o impacto emocional positivo que ele traz. 

Qual é a participação da Eliana na produção do programa? 
Ariel Jacobowitz - A Eliana é a alma do programa. Não produzimos nada que não tenha sua personalidade, seu coração, sua história e sua emoção por trás. O envolvimento dela é fundamental para que o conteúdo dê certo. 

Falando da concorrência, entre as atrações "Domingão do Faustão" e da "Hora do Faro", qual lhe agrada mais? Por quê? 
Ariel Jacobowitz - Seria antiético e prepotente da minha parte analisar e comparar atrações e apresentadores. Até porque,conheço Fausto e Faro, e também pessoas de ambas as produções. Respeito o trabalho de todos! Cada um está dando o seu melhor e quem ganha com isso é o telespectador! Eles são os nossos clientes finais e são só eles que tem o poder de nos julgar, com o controle remoto em mãos. 

Durante os meses de janeiro e fevereiro, será apresentado os melhores momentos do programa "Eliana". Já pensa nas novidades para 2018? (novo cenário, formatos..) 
Ariel Jacobowitz - Em 2018 teremos cenário novo! É algo que queríamos mexer faz tempo e que só agora tivemos o OK da emissora. emos ainda dois formatos comprados em Cannes e que estamos aguardando o sinal verde da direção para implantar. Vamos continuar dando nosso melhor e que seja um ano incrível para o programa Eliana e para o SBT como um todo!

Por NaTelinha.

VOCÊ TAMBÉM DEVE GOSTAR

0 comentários

E aí, curtiu?
Conte-nos o que achou dessa postagem. Seus comentários, opiniões e sugestões são importantes.

#TWITTER.COM/365DIASCOMELIANA

#FACEBOOK.COM/365DIASCOMELIANA

#FLICKR.COM/365DIASCOMELIANA